domingo, 6 de julho de 2014

APOCALIPSE: INTRODUÇÃO E AS CARTAS ÀS SETE IGREJAS DA ÁSIA - SERMÃO 001 – APOCALIPSE 1:1-20 - INTORDUÇÃO AO LIVRO DO APOCALIPSE



O objetivo dessa série é apresentar os três primeiros capítulos do Livro do Apocalipse. Neles vamos encontrar uma REVELAÇÃO muito especial da pessoa de Jesus Cristo. Cremos que é disso que a Igreja dos nossos Dias precisa: Um encontro pessoal e profundo com o Senhor que diz de si mesmo: Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso. No Final de cada estudo o leitor encontrará os links para os estudos seguintes:

LIVRO DO APOCALIPSE — INTRODUÇÃO

Texto: Apocalipse 1:1—20  
Introdução.

A. O livro do Apocalipse é evitado por muitos cristãos, porque eles não conseguem fazer sentido do mesmo. 
B. Para ajudar a todos que se encontram nessa situação, nós vamos desenvolver uma pequena série de mensagens abordando os três primeiros capítulos do Livro do Apocalipse. 
C. Vamos, portanto, começar o próprio nome do livro. A palavra grega usada é Ἀποκάλυψις Apocálipsis — cujo significado é: ato de tornar descoberto ou exposto. Nesse sentido pode tratar-se de uma REVELAÇÃO da verdade. Algo que estava escondido e que agora é trazido à luz.    
D. O Livro do Apocalipse tem sido objeto das mais infamantes interpretações. Muitos indivíduos que desejam apenas aparecer escrevem “comentários” sobre o Apocalipse, sem nenhum conhecimento que os habilite para tal. Apenas inventam interpretações e procuram vincular o que João escreveu com os acontecimentos do dia de hoje, criando verdadeiros absurdos e interpretações passageiras que precisam ser modificadas quando as condições correntes se modificam. 
E. O Livro do Apocalipse, temos que admitir, é um livro bem diferente dos outros livros que temos nas Escrituras Sagradas. Ele é um livro que fala de: 
1. Anjos e demônios. 
2. Cordeiros, leões, cavalos, dragões e etc. 
3. Dois monstros terríveis surgem um vindo do mar e outro da própria terra e etc.  
4. Uma primeira leitura do Livro do Apocalipse parece nos conduzir para diversas visões caóticas, fatídicas e misteriosas. 
5. Mas o próprio Livro nos diz que o mesmo é uma REVELAÇÃO vinda do próprio Deus e, portanto, útil para seu povo de todas as eras se for entendido de forma apropriada. 
Apocalipse 1:1 
Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem acontecer e que ele, enviando por intermédio do seu anjo, notificou ao seu servo João.
 F. O Livro do Apocalipse tem início com uma promessa: Apocalipse 1:3 — Bem-aventurados aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo está próximo. 
G. E termina com uma grave advertência: 
Apocalipse 22:18—19 
Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; e, se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa e das coisas que se acham escritas neste livro. 
H. Bem Vamos iniciar, conforme devemos, nossa

INTRODUÇÃO AO LIVRO DO APOCALIPSE   

I. Algumas Chaves Que Nos Ajudam a Entender o Livro do Apocalipse.
A. O Livro do Apocalipse é uma REVELAÇÃO como está claramente afirmado em seu primeiro versículo. E é dessa forma que devemos nos aproximar do mesmo. Sendo uma REVELAÇÃO divina então podemos ter certeza que há muito no texto do Apocalipse para: 
1. Chamar-nos ao arrependimento e à renovação. 
2.Muito para humilhar-nos e envergonhar-nos. 
3. Muito para acautelar-nos contra a malícia de nosso inimigo. 
4. Muito para incentivar-nos à firmeza e perseverança na fé. 
B. O Livro do Apocalipse é uma revelação para a Igreja. Foi especificamente dirigido para sete igrejas localizadas na Ásia Menor
Mapa das sete cidades
mas vale também para a Igreja do Senhor em todas as épocas, inclusive para a nossa. João recebeu instruções precisas de que deveria colocar a REVELAÇÃO em forma escrita e enviar uma cópia para cada uma das sete igreja mencionadas em 
Apocalipse 1:11 
Dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia. 

II. As Sete Cidades da Ásia Menor 
A. A cidades mencionadas por Jesus estão localizadas no mapa de uma forma tal que ajudaria a pessoa responsável por entregar as cartas, a se dirigir a cada uma das igrejas de uma forma racional, perfazendo um semicírculo, começando em Éfeso e terminando em Laodiceia. Esse circuito foi chamado pelo arqueólogo Sir William Ramsey de “a parte mais populosa, rica e influente da província romana da Ásia”. 
B. Essas cartas, como mencionamos acima, têm nos dias de hoje a mesma importância e valor que tinham quando foram originalmente escritas por João e enviadas para as sete igrejas da Ásia Menor. 
C. Essas Igrejas — sete em número que indica a totalidade, a integralidade e a perfeição — representam as igrejas locais de todas as épocas e de todas as nações. 
III. A Perseguição Sistemática do Povo de Deus Tem Três Aspectos Principais
A. A sociedade cristã representada por essas sete igrejas estava experimentando no final do século I uma dura realidade de perseguição. O imperador Domiciano — Tito Flávio Domiciano — que governou o império romano de 81—96 d.C. jurou exterminar os cristãos. Isso era algo que havia sido iniciado 25 antes pelo imperador Nero — Nero Cláudio César Augusto Germânico.

Imperador Domiciano

Imperador Nero

B. As perseguições movidas pelo imperador Domiciano foram sistemáticas. Domiciano era ávido por honras divinas e com isso sua perseguição se espalhou por toda a província romana da Ásia.



Reprodução do Templo ao Imperador em Pérgamo no Museu de Berlim.

C. Os cristãos que adoravam a Jesus como Senhor estavam sendo “convidados” a adorar César como senhor. A recusa representava desde o ostracismo social e até mesmo a morte. As perspectivas não eram tão boas para a igreja nascente daqueles dias.

D. Para agravar ainda mais a situação, as igrejas não tinham apenas a perseguição com que se preocupar. Outros problemas tão perigosos quanto à perseguição também existiam: o ensino de falsas doutrinas de todos os tipos. Falsos profetas andavam ao redor pelas igrejas espalhando suas mentiras e atraindo os seguidores de Jesus para longe do Salvador. Além disso, homens e mulheres imorais estavam contaminando a igreja e o alto padrão de conduta estabelecido pelas Escrituras e pelos ensinamentos dos apóstolos estava sendo rapidamente degradado.

III. As Táticas do Diabo
A. Durante toda a história da raça humana as táticas do Diabo não sofreram alterações: Perseguição, desvio do caminho da verdade e prática de pecados de toda natureza, especialmente os vinculados com imoralidades sexuais.

B. Nenhuma dessas táticas passavam despercebidas a João. Ele sabia a origem de cada uma delas e nós também precisamos nos conscientizar que o Diabo, nosso Adversário, continua ativo, apesar de ter sido derrotado pelo Senhor Jesus, mas ele não está completamente liquidado:

1 Pedro 5:8

Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.

C. De todas essas situações — perseguição, desvios doutrinários e imoralidades sexuais — uma luta muito maior — espiritual — também estava sendo travada entre Cristo e o anticristo, entre o Cordeiro de Deus e o Dragão Assassino e entre a cidade Santa — a Igreja ou Jerusalém Celestial — e a “grande cidade” Babilônia, representando o mundo.

D. O ataque satânico contra a Igreja acontecia em várias frentes simultaneamente. Ora o ataque era físico, vindo da parte do imperador e seus servidores. Outras vezes era intelectual por meio de falsas doutrinas ou ensinamentos e outras vezes, ainda, era moral, pela adoção de práticas de comportamento contrárias ás escrituras. Essas três formas de ataque são representadas no Livro do Apocalipse pela:

1. A Besta que emerge do mar.

2. A besta que surge da terra ou o falso profeta.

3. E a Babilônia, a prostituta e mãe de todas as abominações que existem sobre a terra.

E. Em todas as épocas podemos notar essas três ações. As táticas do Diabo não mudam porque elas funcionam bem com cada nova geração de cristãos que, infelizmente, parece que não aprendem nada com o passado.

F. Hoje temos igrejas que estão sofrendo perseguições físicas, prisões e até mesmo o martírio. Na Síria, no Iraque, no Sudão, no Senegal e etc.

G. Em outros lugares a Igreja está travando verdadeiras batalhas mentais com falsas teologias. No Brasil, todo dia surge uma nova invencionice e temos que conhecer bem as Escrituras para podermos combater essas mentiras.

H. A o redor do mundo existe uma luta no campo moral. O mundo deseja que a igreja abandone suas posições bíblicas e adote os mesmos comportamentos mundanos e nojentos que todos desejam praticar.    

Conclusão:

1. Só podemos começar a entender o Apocalipse quando vemos o mesmo como uma REVELAÇÃO de Deus para o Seu povo de todas as épocas.

2.  O Apocalipse é então, uma mensagem para a Igreja de todas as épocas.

3. O Apocalipse é um chamado para todos nós para que:

a. Suportemos com paciência as tribulações.

B. Apeguemo-nos à Verdade com todas as nossas forças. Aqui não há lugar para corpo mole.

C. Resistamos às adulações do Diabo e obedeçamos aos mandamentos do Senhor.

OUTROS ESTUDOS ACERCA DE APOCALIPSE CAPÍTULOS 1 A 3


OUTRAS MENSAGENS ACERCA DO APOCALIPSE: INTRODUÇÃO E CARTAS ÀS SETE IGREJAS

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 001 — INTORDUÇÃO AO LIVRO DO APOCALIPSE

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 002 — UMA VISÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 001

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 003 — UMA VISÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:1—7 — SERMÃO 004 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 001

APOCALIPSE 2:1—7 — SERMÃO 005 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:8—11 — SERMÃO 006 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 001
APOCALIPSE 2:8—11 — SERMÃO 007 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 002

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 008 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 001

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 009 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 010 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 003

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 011 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 004

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 012 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 005 FINAL
APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 013 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 001

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 014 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 002

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 015 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 003

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 016 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 004

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 017 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 005

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 018 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 006 — FINAL

APOCALIPSE 3:1—6 — SERMÃO 019 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 001

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:

http://www.facebook.com/pages/O-Grande-Diálogo/193483684110775

Desde já agradecemos a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário