terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

SERMÃO EM ÁUDIO — INTRODUÇÃO AO APOCALIPSE E AS CARTAS PARA AS SETE IGREJAS DA ÁSIA — SERMÃO 025 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM FILADÉLFIA — PARTE 002 — UMA PORTA ABERTA


Resultado de imagem para porta aberta

Você poderá ouvir um sermão de domingo pregado na Igreja Presbiteriana Boas Novas que deu continuidade à nossa exposição de Apocalipse 1—3. Para isso, basta escolher e clicar no link abaixo para ser direcionado até a página do sermão em áudio. Se desejar você também poderá fazer o download do mesmo.

Clique no link abaixo para ter acesso ao site do sermão em áudio:

Para ouvir no YouTube


Você poderá acompanhar essa mensagem com seu esboço em mãos por meio desse link aqui:


Você poderá ouvir outras mensagens dessa série seguindo os links abaixo —

SÉRIE: INTRODUÇÃO AO APOCALIPSE E AS CARTAS PARA AS SETE IGREJAS DA ÁSIA — APOCALIPSE 1 A 3

SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO AO APOCALIPSE E AS CARTAS PARA AS SETE IGREJAS DA ÁSIA — INTRODUÇÃO — UMA VISÃO DO SENHOR JESUS — PARTE 001

SERMÃO 002 — INTRODUÇÃO AO APOCALIPSE E AS CARTAS PARA AS SETE IGREJAS DA ÁSIA — INTRODUÇÃO — PARTE 002 — UMA VISÃO DO SENHOR JESUS — PARTE 002

SERMÃO 003 — INTRODUÇÃO AO APOCALIPSE E AS CARTAS PARA AS SETE IGREJAS DA ÁSIA — SERMÃO 003 — UMA REVELAÇÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 003

SERMÃO 004 — CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 001

SERMÃO 005 — CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 002

SERMÃO 006 — CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 001

SERMÃO 007 — CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 002

SERMÃO 008 — CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 001

SERMÃO 009 — CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 002

SERMÃO 011 — CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 004

SERMÃO 012 — CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 005

SERMÃO 013 — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 001

SERMÃO 014 — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 002

SERMÃO 015 — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 003

SERMÃO 016 — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 004

SERMÃO 017 — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 005

SERMÃO 018A — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 006A

SERMÃO 018B — CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 006B

SERMÃO 019 — CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 001

SERMÃO 020 — CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 002

SERMÃO 021 — CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 003

SERMÃO 023 — CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 005

SERMÃO 024 — CARTA PARA A IGREJA EM FILADÉLFIA — PARTE 001

SERMÃO 025 — CARTA PARA A IGREJA EM FILADÉLFIA — PARTE 002

ESBOÇOS DAS MENSAGENS NO LIVRO DO APOCALIPSE

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO AO LIVRO DO APOCALIPSE

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 002 — UMA VISÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 001

APOCALIPSE 1:1—20 — SERMÃO 003 — UMA VISÃO DE JESUS CRISTO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:1—7 — SERMÃO 004 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 001

APOCALIPSE 2:1—7 — SERMÃO 005 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ÉFESO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:8—11 — SERMÃO 006 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 001

APOCALIPSE 2:8—11 — SERMÃO 007 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM ESMIRNA — PARTE 002

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 008 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 001

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 009 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 002

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 010 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 003

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 011 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 004

APOCALIPSE 2:12—17 — SERMÃO 012 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM PÉRGAMO — PARTE 005 FINAL

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 013 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 001

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 014 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 002

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 015 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 003

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 016 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 004

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 017 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA — PARTE 005

APOCALIPSE 2:18—29 — SERMÃO 018A/B — UMA CARTA PARA A IGREJA EM TIATIRA  — PARTE 006A/B

APOCALIPSE 3:1—6 — SERMÃO 019 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 001

APOCALIPSE 3:1—6 — SERMÃO 020 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 002

APOCALIPSE 3:1—6 — SERMÃO 021 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 003

APOCALIPSE 3:1—6 — SERMÃO 022 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 004

APOCALIPSE 3:1—6 — SERMÃO 023 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM SARDES — PARTE 005

APOCALIPSE 3:7—13 — SERMÃO 024 — UMA CARTA PARA A IGREJA EM FILADÉLFIA — PARTE 001

Apocalipse 3:7—13 — SERMÃO 025 – UMA CARTA PARA A IGREJA EM FILADÉLFIA — PARTE 002

OUTRAS SÉRIES DE SERMÕES EM ÁUDIO:

SERMÕES NA SÉRIE: “O PAI NOSSO” — MATEUS 6:9—13

SERMÃO 001 — INTRODUÇÃO AO PAI NOSSO

SERMÃO 002 — O TERMO “PAI” — PARTE 1

SERMÃO 003 — O TERMO “PAI” — PARTE 2

SERMÃO 004 — DEUS COMO PAI E MÃE

SERMÃO 005 — PAI NOSSO QUE ESTÁ NOS CÉUS

SERMÃO 006 — INTRODUÇÃO À ESTRUTURA  DO PAI NOSSO

SERMÃO 007 — SANTIFICADO SEJA O TEU NOME

SERMÃO 008 — SANTIFICADO SEJA O TEU NOME — Parte 2

SERMÃO 009 — VENHA O TEU REINO — Parte 1

SERMÃO 010 — VENHA O TEU REINO — Parte 2

SERMÃO 011 — FAÇA-SE A TUA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU

SERMÃO 012 — O PÃO NOSSO DE CADA DIA DÁ-NOS HOJE

SERMÃO 013 — PERDOA-NOS AS NOSSAS DÍVIDAS ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES.

SERMÃO 014 — e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal, pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

Que Deus abençoe a todos

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Os comentários não representam a opinião do Blog O Grande Diálogo; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.        

domingo, 19 de fevereiro de 2017

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 014 — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 010


Resultado de imagem para mateu evangelista

Essa série pretende disponibilizar as informações mais importantes acerca de cada um dos 27 livros que compõem o Novo Testamento. Desde que lançamos nossa série de Introdução ao Antigo Testamento, muitos leitores têm nos questionando acerca de algum material semelhante com respeito ao Novo Testamento. Então, aproveitando que iniciamos uma série de estudos acerca dos manuscritos do Novo Testamento — tecnicamente chamada de “baixa crítica” — estamos usando essa oportunidade para lançar uma série que trate também do texto do Novo Testamento em si, e da interpretação geral do mesmo — “alta crítica”.

I. O EVANGELHO DE MATEUS

H. O Autor do Evangelho de Mateus

Há vários elementos internos que corroboram a autoria do Evangelho de Mateus ao publicano assim chamado —

Mateus 9:9

Partindo Jesus dali, viu um homem chamado Mateus sentado na coletoria e disse-lhe: Segue-me! Ele se levantou e o seguiu.

Vejamos então algumas dessas evidências internas:

1. Mateus é o único dos evangelhos sinóticos — Mateus, Marcos e Lucas — que faz ume referência direta a Mateus com sendo um publicano ou coletor de taxas ou imposto.

Mateus 10:3

Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu.

Essa forma de referir-se a si mesmo é vista como uma maneira de demonstrar gratidão ao Senhor pelo chamado recebido que o libertou daquela vida de ganância e exploração de outras pessoas.

2. As passagens sinóticas do chamamento de Mateus dizem o seguinte:

Marcos 2:14

Quando ia passando, viu a Levi, filho de Alfeu, sentado na coletoria e disse-lhe: Segue-me! Ele se levantou e o seguiu.

Lucas 5:27

Passadas estas coisas, saindo, viu um publicano, chamado Levi, assentado na coletoria, e disse-lhe: Segue-me!

De acordo com os textos acima, o homem que Jesus chamou para segui-lo e que trabalhava na coletoria de taxas e impostos era chamado Levi. É evidente que os três evangelhos estão tratando da mesma história. O Evangelho de Mateus, como citado acima, identifica esse mesmo homem pelo nome de Mateus. As listas dos evangelhos sinóticos são unânimes em apontar entre os apóstolos um único homem de nome Mateus — Ver Mateus 10:2—4; Marcos 3:16—18; Lucas 6:13—16. Essa mesma lista é ainda confirmada por —

Atos 1:13

Quando ali entraram, subiram para o cenáculo onde se reuniam Pedro, João, Tiago, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, filho de Tiago.

Já Mateus 10:13 citada a cima, identifica esse Mateus com o mesmo coletor de impostos. Assim o círculo se fecha de maneira conclusiva: Mateus e Levi são uma e a mesma pessoa.

3. Existem outras interpretações disponíveis acerca da identificação de Mateus, o publicano, mas elas se caracterizam ou por serem fantasiosas demais, ou por não apresentarem nenhum indício de prova concreta.

4. Outro elemento interno que chama nossa atenção é a concordância entre a atenção dedicada aos detalhes, algo essencial à função de Mateus como coletor de taxas, e a forma metódica como ele organizou o material em seu evangelho, algo que já foi discutido em detalhes em estudos anteriores.

5. Outra característica que nos chama a atenção é que, Mateus é o único dos evangelhos sinóticos que na narrativa acerca da controvérsia sobre o pagamento do tributo — Mateus 22:15—22; Marcos 12:13—17; Lucas 20:20—26 — chama, a princípio, a moeda utilizada para tal de νόμισμα — nómisma  — que é traduzida por moeda do tributo e cujo sentido literal é moeda estatal, enquanto Marcos e Lucas se referem à mesma como sendo apenas δηνάριον — denárion — era também uma moeda romana de parta usada para remunerar um dia de trabalho.

Concluído podemos afirmar que não existem questões objetivas e prova práticas que nos conduzam a rejeitar as fortes evidências externas a favor do fato que Mateus, o publicano, foi o autor do evangelho que leva seu nome. As provas internas também ajudam a corroborar nossa conclusão nesse sentido. Reconhecemos que tal conclusão é limitada por cauda das fontes que temos disponíveis, o que possibilita o surgimento de inúmeros argumentos e especulações diversas. Muitos estudiosos modernos rejeitam a autoria apostólica do Evangelho de Mateus, mas não têm nada melhor para nos oferecer.

OUTROS ESTUDOS ACERCA DA INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — PARTE 001 — INTRODUÇÃO GERAL AOS EVANGELHOS — ESTUDO 001

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — PARTE 002 — A FORMA LITARÁRIA DOS EVANGELHOS

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — PARTE 003 — MOTIVOS PORQUE OS EVANGELHOS FORAM ESCRITOS

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — PARTE 004 — O LUGAR OCUPADO PELOS QUATRO EVANGELHOS NO NOVO TESTAMENTO

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — PARTE 005 —  A MELHOR FORMA DE ABORDAR OS QUATRO EVANGELHOS

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 006 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 001

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 007 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 002

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 008 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 003

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 009 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 004

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 010 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 005

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 011 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 006

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 012 – INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 007

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 013 — INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 008

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 014 — INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 009

INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO — ESTUDO 015 — INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS — INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MATEUS — PARTE 010
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/02/introducao-ao-novo-testamento-estudo.html

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link:


Desde já agradecemos a todos.

Os comentários não representam a opinião do Blog O Grande Diálogo; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

ENCONTROS DE PODER — 043 — A EVIDÊNCIA DO NOVO TESTAMENTO — PARTE 26 — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 011 — UMA EXPOSIÇÃO DE EFÉSIOS 2:1—2.



Atenção esse artigo é parte de uma série onde pretendemos tratar dos alegados encontros de poder e de curas maravilhosas que nos são apresentadas todos os dias pelos pastores midiáticos. No final de cada estudo você encontrará links para outros estudos.

EFÉSIOS 2:1—2

1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,

2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;

A primeira coisa que deve chamar nossa atenção nos versos acima é sua estrutura:

1. O curso — αἰῶναaiôna — desse mundo.

2. O príncipe — ἄρχονταárchonta:

a. Da potestade — ἐξουσίαςexousías — do ar — ἀέροςaéros.

b. Do espírito que agora atua nos filhos da desobediência.

Agora, devemos notar que Paulo se refere ao príncipe da potestade do ar, no singular e isso tem seu próprio significado, como veremos logo adiante. A tradução da Almeida Revista e Atualizada em sua 2ª Edição está correta, contra o indesejável plural que encontramos na ARC e NTLH, que é a pior tradução das três nesse caso específico.

A ARC diz:

Segundo o príncipe das potestades do ar — note o plural potestades.

A NTLH diz:

Que governa os poderes espirituais do espaço note o plural poderes e o acréscimo perverso da expressão do espaço.

Quanto ao uso da expressão poderes, no plural, devemos deixar bem claro que o apóstolo Paulo era bem capaz de distinguir a expressão potestade — ἐξουσίαςexousías — no singular, da expressão — ἐξουσίαιςexousíais — potestades no plural, conforme podemos ver em —

Efésios 3:10

Para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais.

Efésios 6:12

Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.

Quanto ao acréscimo da expressão espaço feita pelo NTLH, a mesma é gratuita e acaba por confundir o leitor, uma vez que os lugares celestiais mencionados por Paulo em Efésios não equivalem ao conceito puro e simples de espaço, mas envolvem todo o Universo criado, inclusive a própria terra. Para ajudar o leitor a entender melhor o conceito bíblico de lugares celestiais sugerimos a leitura de nosso artigo que trata dessa questão e que pode ser acessado por meio do link abaixo:


Além disso, a menção de Paulo ao príncipe da potestade do ar, como dissemos, tem um propósito específico, que não é fazer uma referência a alguma tropa de demônios no espaço, como quer a NTLH, mas sim descrever uma atmosfera — ἀέροςaéros — ar — que envolve por completo as pessoas e sela o destino das mesmas.

Já o paralelo entre as expressões — κόσμος — mundo e — πνεύματος — espírito parece indicar a qualidade da existência alienada, o clima generalizado que influencia a humanidade no meio do qual todos nós vivemos, nos movemos e acabamos nos perdendo. É esse clima que respiramos, absorvemos e bebemos, como uma definição normativa da nossa verdadeira condição nesse mundo. A potestade — ἐξουσίαςexousías — do ar, aqui mencionada por Paulo não é algo personificado, mas abstrato. Ela representa a subjetividade de uma época mundial, da espiritualidade de uma era, das permissões, licenças, restrições, advertências e da repressão que nos são impostas pelo tempo em que vivemos.

Mas tudo isso, também nos é imposto pelo príncipe — ἄρχονταárchonta, que controla tal atmosfera. Paulo nos diz aqui que Satanás é o senhor dessa época. Em outra passagem Satanás é chamado de Deus deste século —

2 Coríntios 4:3—4

3 Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto,

4 nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.

Desse modo, quando seguimos apenas o curso maligno desse mundo, não podemos esperar colher nada, senão a morte física e a perdição eterna de nossas almas. Paulo afirma que todos nós estávamos mortos, porque o sistema global no seu todo é uma grande conspiração contra Deus. Tudo não passa de uma grande mentira perpetuada pelas pessoas e controlada pelo próprio Satanás. Nós estávamos mortos, porque já nascemos nesse mundo e nunca tivemos nenhuma outra escolha. Mortos, porque uma vez que respiramos esses vapores mortais, expiramos os mesmos e assim, contaminamos todos os outros. Somos como portadores ou incubadores do mal, transmitindo o mesmo para nossas instituições, estruturas e sistemas, ao passo que esses, por sua própria vez, nos devolvem o mesmo veneno intensificado.

Quando entendemos essa realidade, do mal como uma herança cultural e espiritual com seu poder contagiante, então podemos, pela graça de Deus, nos afastar dos conceitos mitológicos do mal personificado apenas em espíritos demoníacos. Isso é completamente distinto da abordagem mitológica da vasta maioria dos pregadores modernos que enxergam em tudo um infindável número de demônios aos quais responsabilizam por todos os males sociais, físico, espirituais e etc., e cobram um alto preço para livrar as pessoas da influência dos mesmos.

Paulo nesses versos usa uma linguagem metafórica sim, mas não mitológica. Os autores do Novo Testamento não acreditavam num Universo ou numa atmosfera repleta de demônios. Quando Paulo menciona o príncipe da potestade do ar, não o faz com a intenção de especificar um lugar onde demônios pululam, e sim uma atmosfera, explorada por Satanás para causar nossa destruição. Desse modo, a potestade do ar, não deve ser identificada com poderes espirituais personificados — tão ao gosto de crentes mal informados e filmes de Hollywood —, mas com o príncipe que governa sobre a mesma. Ao que então equivale à expressão a potestade do ar? Ela é equivalente ao domínio invisível ou ambiente resultante da somatória de todas as opções feitas a favor do mal. Trata-se da base fundamental da vida hipócrita, falsa e pretensiosa. Vida essa cercada por poderosas forças que são completamente antagônicas a Deus. Resumindo, podemos usar o que Paulo escreveu em —

1 Coríntios 2:12

Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.

No verso acima, Paulo chama de espírito do mundo, esse aspecto aparente de permanência absoluta que o mundo transmite a todos que se entregam completamente a ele, mas tudo não passa de um engodo, de uma grande ilusão. Mesmo não reconhecendo nem admitindo essa gigantesca fraude, ainda assim temos inventado uma série de termos que usamos para nos referir à mesma. Entre esses termos temos: ideologia, usos e costumes, opinião pública, pressão de grupo, expectativas institucionais, psicologia de grupo, patriotismo, falso moralismo, vibrações negativas e etc. Todos esses nomes fazem referência à potestade do ar, ao ambiente invisível, porém palpável, de opiniões, crenças, propaganda, convicções, preconceitos raciais e de classe, ódios, tabus e lealdades. Todos esses elementos acabam por condicionar nossa percepção do mundo ao nosso redor, antes mesmo de atingirmos a idade de fazer escolhas, isto é, antes mesmo de começarmos a falar. Essa atmosfera intoxicada acaba nos matando, exatamente, porque somos incapazes de reagir ao seu odor nauseabundo. Somos como os peixes dentro da água, que nadam sem se dar conta da existência da mesma. No nosso caso, essa atmosfera determina a forma como pensamos, como falamos e como agimos. Iludir-nos com a impressão de que a mesma não existe é o resultado mortal do qual padecemos. Seus poderosos tentáculos são tão fortes que apenas braços invisíveis, ainda mais poderosos, são capazes de nos proteger e, por fim, nos libertar dos mesmos. Por esses braços ainda mais poderosos, estamos nos referindo à armadura de Deus, conforme descrita em —

Efésios 6:10—20

10 Quanto ao mais, sede fortalecidos no Senhor e na força do seu poder.

11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo;

12 porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.

13 Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis.

14 Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça.

15 Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz;

16 embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.

17 Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;

18 com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos

19 e também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho,

20 pelo qual sou embaixador em cadeias, para que, em Cristo, eu seja ousado para falar, como me cumpre fazê-lo.

CONTINUA...

Listas dos Estudos de Encontros de Poder

001 — Introdução =

002 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = Expressões Diversas

003 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ἀρχῆ arché e ἄρχων árchon.

004 – A linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ἐξουσίαιςexousías – potestades, autoridades.

005 – A linguagem de “Poder” no Novo Testamento = δυνάμειςdunámeis — poderes.

006 – A linguagem de “Poder” no Novo Testamento = Θρόνοιthrónoi — tronos.

007 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = κυριοτῆς kuriotês — domínio.

008 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ὀνόματιonómati — nome.

009 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ἄγγελοs ággelos — anjo.

010 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = δαιμονίον daimoníon — demônio, πνεῦμα τὸ πονηρὸνpneûma tò ponirònespírito maligno, ἀγγέλους τε τοὺς μὴ τηρήσαντας τὴν ἑαυτῶν ἀρχὴνangélous te toùs me terèsantas tèn eautôn archèn — anjos, os que não guardaram o seu estado original ou anjos caídos.

011 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ἀγγέλους  τῶν ἐθνῶν angélous tôn ethnôn — anjos das nações.

012 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ἀγγέλους  τῶν ἐθνῶν angélous tôn ethnônanjos das nações — Parte 2.

013 — A Linguagem de “Poder” no Novo Testamento = ἀγγέλους  τῶν ἐθνῶν angélous tôn ethnônanjos das nações — Parte 3 — Final.

014 — A Evidência do Novo Testamento – Parte 1 — Introdução

015 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 2 — As Passagens Disputadas — 1 Coríntios 2:6—8 — Parte 1

016 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 3 — As Passagens Disputadas — 1 Coríntios 2:6—8 — Parte 2

017 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 3 — As Passagens Disputadas — Romanos 13:1—3

018 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 4 — As Passagens Disputadas — Romanos 8:31—39

019 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 5 — As Passagens Disputadas — 1 Coríntios 15:24—27a — PARTE 1

020 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 6 — As Passagens Disputadas — 1 Coríntios 15:24—27a — PARTE 2

021 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 7 — As Passagens Disputadas — Colossenses 3:13—15 — PARTE 1

022 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 8 — As Passagens Disputadas — Colossenses 3:13—15 — PARTE 2

023 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 9 — As Passagens Disputadas — Efésios 1:20—23 — AS REGIÕES CELESTIAIS — PARTE 1

024 — A Evidência do Novo Testamento — Parte 10 — As Passagens Disputadas — Efésios 1:20—23 — AS REGIÕES CELESTIAIS — PARTE 2

025 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 11 — As Passagens Disputadas — EFÉSIOS 1:20—23 — PARTE 3

026 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 12 — As Passagens Disputadas — EFÉSIOS 1:20—23 — PARTE 4

027 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 13 — As Passagens Disputadas — EFÉSIOS 1:20—23 — PARTE 5

028 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 14 — As Passagens Disputadas — EFÉSIOS 1:20—23 — PARTE 6

029 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 15 — As Passagens Disputadas — EFÉSIOS 1:20—23 — PARTE 7 — A DESTRUIÇÃO DA MORTE E DE SEUS ALIADOS

030 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 16 — As Passagens Disputadas — COLOSSENSES 1:16 — A CRIAÇÃO DE TODAS AS COISAS POR MEIO DE E PARA O PRÓPRIO CRISTO

031 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 16 — As Passagens Disputadas — COLOSSENSES 1:16 — TENTANDO DEFINIR OS PODERES

032 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 16 — As Passagens Disputadas — COLOSSENSES 1:16 — TENTANDO DEFINIR OS PODERES —PARTE 002

033 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 17 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 001

034 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 18 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 002

035 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 19 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 003

036 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 20 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 004

037 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 21 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 005

038 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 22 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 006

039 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 23 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 007

040 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 24 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 008

041 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 25 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 009

042 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 26 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 010

043 — A Evidência do Novo Testamento — PARTE 27 — As Passagens Disputadas — OS ELEMENTOS DO UNIVERSO — PARTE 011 — O PRÍNCIPE DA POTESTADE DO AR
http://ograndedialogo.blogspot.com.br/2017/02/encontros-de-poder-043-evidencia-do.html

Que Deus abençoe a todos.

Alexandros Meimaridis.

PS. Pedimos a todos os nossos leitores que puderem que “curtam” nossa página no Facebook através do seguinte link: 


Desde já agradecemos a todos. 

Os comentários não representam a opinião do Blog O Grande Diálogo; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.